Início principal Mais de um milhão e meio de passageiros sofreu atrasos nos aeroportos...

Mais de um milhão e meio de passageiros sofreu atrasos nos aeroportos portugueses em 2024

23ABR24 – A AirHelp, empresa mundial líder em tecnologia de compensação de passageiros aéreos, acaba de dar a conhecer o panorama dos voos e perturbações durante os meses de janeiro, fevereiro e março do presente ano. Nos primeiros três meses de 2024, mais de cinco milhões e 700 mil passageiros apanharam um voo a partir de um aeroporto em Portugal e cerca de 44 mil voos descolaram de Portugal.

De acordo com os dados fornecidos pela organização, 72% das viagens foram efetuadas à hora prevista, no entanto, mais de um milhão e meio de passageiros viu o seu voo sofrer alguma perturbação e, embora na maioria dos casos se tratasse de atrasos menores que não implicam uma compensação financeira, mais de 67 mil passageiros ficaram aptos a receber uma indemnização seja devido a um atraso do seu voo superior a três horas, ao cancelamento do seu voo ou à perda de uma ligação causada pelo atraso do primeiro voo.

Comparando com o ano anterior, no mesmo período, registou-se uma ligeira diminuição do número de passageiros aéreos e de voos: mais cinco milhões e 900 mil passageiros e mais de 45 mil voos, em 2023. Em 2024, o número de perturbações apresentou melhorias com os voos atrasados ou cancelados a diminuírem.

Nestes três meses, março é aquele que se destaca: foram realizados mais de 15 mil voos e registados quase dois milhões de passageiros. É, por isso, natural que se tenham registado mais perturbações com 35% dos voos a sofrer perturbações, bem como 35% dos passageiros a lidar com algum problema no seu voo.

Aeroportos portugueses e companhias aéreas

De acordo com a AirHelp, a companhia aérea nacional, TAP, foi a companhia aérea que mais passageiros transportou a partir de Portugal, tendo registado mais de dois milhões de passageiros em 16 mil voos. Do total de passageiros registados, 33% sofreu algum tipo de perturbação no seu voo (cancelamento, atraso ou overbooking).

Quando falamos de aeroportos portugueses, o panorama mantém o registo habitual, com o Porto a destacar-se pelo seu bom desempenho e Lisboa a encontrar-se no polo oposto. No Aeroporto do Porto apenas 18% dos passageiros aéreos sofreu algum tipo de perturbação; por outro lado, no Aeroporto de Lisboa, este número chega aos 34%.

A par com o Aeroporto do Porto, encontram-se os Aeroportos de Faro, Porto Santo e Graciosa: o aeroporto de Porto Santo apresenta 19% de passageiros afetados; o aeroporto de Faro registou 18% (tal como o Porto); o aeroporto da Graciosa registou 25% dos passageiros aéreos com alguma perturbação nos voos.

Já os Aeroportos dos Açores – Horta, Ponta Delgada e Pico – e o Aeroporto de Santa Cruz (na Ilha da Madeira) são, juntamente com o Aeroporto de Lisboa, os que registam pior performance: 40% dos passageiros sofreu alguma perturbação em Santa Cruz; 33% sofreu alguma perturbação no Aeroporto da Horta (o mesmo número em Lisboa); 29% no Aeroporto de Ponta Delgada; e, por fim, 26% no Aeroporto do Pico.