Início principal Paris proíbe o aluguer de trotinetes elétricas

Paris proíbe o aluguer de trotinetes elétricas

A proibição de alugar trotinetes elétricas já entrou em vigor como resposta ao crescente número de feridos e mortos na capital francesa.

Cerca de 90% dos parisienses que participaram de uma votação em abril passado manifestaram-se a favor da proibição.

Paris é agora uma das primeiras capitais a proibir o aluguer de trotinetes elétricas, cerca de cinco anos depois de ter sido pioneira neste modo de locomoção.

O aluguer turístico de trotinetes elétricas nas ruas há anos é um incómodo, tanto para peões, ciclistas e motoristas em Paris.

Paris foi uma das primeiras cidades da Europa a adotar o aluguer de trotinetes elétricas, há cinco anos. Agora, a capital francesa torna-se numa das primeiras cidades europeias a proibir o seu aluguer, após o referendo de abril que demonstrou que mais de 100 mil parisienses queriam que esse modo de transporte acabasse.

A última das 15.000 trotinetes elétricas foi já retirada das ruas da cidade, mesmo antes de uma proibição que entrou em vigor na passada segunda-feira, imediatamente após terem terminado os contratos com os três operadores de trotinete ainda existentes.

O aluguer de trotinetes elétricas nas ruas, que são utilizados principalmente por turistas e crianças (que podiam usá-las legalmente a partir dos 12 anos antes que a idade mínima fosse elevada para 14 anos em março), tem sido uma constante preocupação, nomeadamente para peões e ciclistas de Paris.

A capital francesa já havia reprimido as trotinetes elétricas em 2019 e 2020, impondo limites de velocidade nos motores e rastreando com multas pesadas de até 1.500 euros para infratores, fatores que limitaram o número de operadores.