Início principal Futuro do Turismo de Cruzeiros foi discutido em Lisboa

Futuro do Turismo de Cruzeiros foi discutido em Lisboa

0

A frota de cruzeiros de 2023 dos membros da Associação Internacional de Cruzeiros (CLIA) é uma das mais avançadas tecnologicamente e energeticamente eficientes.

Os 14 navios lançados este ano, que incluem navios que são os primeiros da sua classe ou o primeiro navio de novas linhas de cruzeiro a entrar no mercado de cruzeiros marítimos, são indicativos dos avanços que os cruzeiros estão a fazer na mudança de um setor que utilizava um combustível único para a capacidade de utilização de combustíveis diversificados.

Até 2028, a frota de cruzeiros da CLIA incluirá 38 navios de cruzeiro movidos a gás natural liquidificado, considerado como um combustível de transição, mas que também tem benefícios ambientais significativos.  Mais de 15% das companhias de cruzeiro que entrarem em serviço nos próximos cinco anos estarão equipadas para incorporar células de combustível ou baterias.

Como o turismo de cruzeiro sustentável requer um esforço coletivo, o setor dos cruzeiros está a trabalhar em colaboração estreita com as autoridades municipais e portuárias em Portugal continental e nas regiões autónomas, Madeira e Açores, bem como com os agentes portuários e o Governo a nível local e nacional.

Com o lançamento de 14 navios das companhias de cruzeiro associadas da CLIA em 2023, a frota da CLIA, no final do ano, incluirá 293 navios, e 38 mil milhões de euros serão investidos em 62 navios com entrega prevista até 2028, sendo quase todo o volume de investimento proveniente da Europa.

Artigo anteriorGoverno abre candidaturas para o FIT 2.0 para Turismo
Próximo artigoNova edição semanal do Opção Turismo em papel