Início principal VisitPortugal fez “Take Over” a Times Square

VisitPortugal fez “Take Over” a Times Square

0

O Turismo de Portugal iniciou um forte plano de promoção do país nos Estados Unidos da América (EUA), um mercado estratégico para a afirmação e crescimento em valor da atividade turística nacional.

O arranque foi feito sob o lema “Close to US” e com o take over de todos os ecrãs digitais da praça de Nova Iorque – Times Square que, durante uma hora emitiram exclusivamente imagens de Portugal.

O Turismo de Portugal “entregou” cada um dos ecrãs de Times Square a portugueses para que estes pudessem mostrar ao mundo o melhor que o país tem – as pessoas e o seu património natural e histórico, bem como passar a mensagem de que o turismo do futuro se faz de maneira responsável e sustentável, contribuindo para um planeta melhor.  Assim, a diversidade da oferta turística de Portugal e das suas regiões, em particular o que tem mais impacto no público americano (sem esquecer, contudo, todas as outras nacionalidades que passam por esta praça emblemática e palco do mundo) foram amplamente divulgadas e promovidas. Da natureza à história, das ondas ao património, das cidades às aldeias, do interior às ilhas, todos são bons motivos para escolher Portugal como o destino de uma próxima viagem.

Com esta campanha, estrategicamente lançada nos dias anteriores à Semana de Ação de Graças (Thanksgiving), o Turismo de Portugal espera impactar cerca de 500 milhões de pessoas em todo o Mundo, num momento em que, associado à tradição da Black Friday, há uma maior predisposição para a marcação de viagens.

O peso dos EUA no turismo português

Os Estados Unidos da América têm-se afirmado nos anos recentes como um dos mercados turísticos mais relevantes para Portugal, registando até setembro de 2022, e em comparação com 2019, crescimentos de 21,6 e 22,4% respetivamente nos indicadores do número de hóspedes e dormidas. Estes números colocam presentemente o mercado dos EUA como o 4º principal mercado emissor para Portugal e o 5º em termos de dormidas. Em relação às receitas turísticas o mercado registava no acumulado do ano (jan a set) deste ano um aumento de 48% face ao mesmo período de 2019.

Assim, os EUA assumem e justificam o papel de principal mercado de aposta em termos de investimento de cariz promocional.

A campanha “Close to US” 

A campanha “Close to US” faz parte de um plano alargado e inclui, além da ativação de marca em Times Square, a presença do Destino Portugal em plataformas de negócio, nomeadamente feiras e workshops; a implementação de uma estratégia de relações públicas tendo como alvo os principais opinion makers do país; e ainda uma forte campanha de marketing digital.

Com um investimento previsto de 4,5 milhões de euros em 2022 e 2023, o plano de promoção pretende dar visibilidade a Portugal como destino inspirador, cujas pessoas sabem e gostam de receber, evidenciando a posição geográfica privilegiada e a conectividade entre a América do Norte e Portugal.

A campanha é estritamente digital e inclui uma rede de 3 mil outdoors digitais presentes nos aeroportos de Nova Iorque e New Jersey, que têm ligações aéreas diretas para Portugal, estimando-se a geração de aproximadamente 55 milhões de impressões e um impacte em cerca de 12 milhões de transeuntes e utilizadores dos aeroportos.

No âmbito do plano de atuação delineado pelo Turismo de Portugal há também o objetivo de captar, diversificar e reforçar as rotas áreas dos EUA para Portugal, tendo em conta as cidades de origem, as companhias e as cidades de destino. Aliás, o crescimento do mercado em matéria de conectividade tem sido evidente, tendo o verão de 2022 atingido praticamente o nível de 2019.

Sobre esta ação, Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo afirmou que esta é uma ação tática muito pertinente num mercado cada vez mais importante para Portugal, acrescentando que os mais recentes números de que dispomos dos indicadores turísticos são extraordinários e se, em 2021, os EUA já eram o 6º mercado turístico da procura externa para o destino Portugal, em 2022 irão assumir uma posição ainda mais importante, contribuindo para a diversificação de mercados emissores.

Este plano estratégico de comunicação, especialmente desenhado para este mercado, apresenta Portugal não só como o grande país que é, mas sobretudo como destino turístico fascinante e único no mundo, salientou Luís Araújo.

Artigo anterior33º Congresso AHP: Novo encontro só em 2024
Próximo artigo33º Congresso AHP: Novo encontro só em 2024