Início principal Estou um pouco apreensiva relativamente a 2023, diz Helena Santos

Estou um pouco apreensiva relativamente a 2023, diz Helena Santos

0

Comecei a trabalhar no setor do Turismo em 1978 na agência de viagens da então Companhia Nacional de Navegação (CNN). Poucos anos depois, a CNN foi extinta e a agência de viagens foi comprada pela Turopa, ficando com o nome de Nacionaltur. É assim que Helena Santos, sócia-gerente e diretora da Turiset se apresenta, acrescentando que infelizmente a Turopa teve o fim que todos sabemos, mas eu, atempadamente, consegui negociar a agência de Setúbal.

Tudo resolvido e burocracite tratada, em 01 de outubro de 1993 é criada a Turiset – Viagens e Turismo Lda.

Como as instalações eram as mesmas pode dizer-se, sem erro, que muitos dos clientes nem se aperceberam do que tinha acontecido, ou seja, da mudança da sociedade. Só com o tempo é que foram sabendo que a agência era minha.

Um risco calculado pela experiência

Quando decidiu avançar com o negócio para ficar com a agência (Turopa) em Setúbal, a nossa entrevista confessa que foi um (bom) risco calculado, pois já era a responsável pela Nacionaltur de Setúbal e sabia o negócio que existia.

Como o negócio tinha de ser feito rapidamente, dado o estado de falência em que se encontrava a Turopa, a agência foi criada no espaço de um mês. Recorde-se que nessa época era necessário um capital social de 20 mil escudos, bastante dinheiro na altura, que foi totalmente realizado.

Formei então uma sociedade familiar com o meu pai e o meu marido, mas passados cinco anos, alteramos a estrutura social e fiquei só eu como sócia-gerente e o meu marido.

Também de salientar que na época a Helena Santos teve de tirar o curso de diretores técnicos, então obrigatório para abrir uma agência de viagens.

Curiosamente, a minha formação académica é Filologia Germânica, que nada tem a ver com o turismo, mas fiz questão de tirar vários cursos de tarifas, emissões, técnicas de vendas, etc., pois sempre considerei a formação uma arma essencial para o sucesso, afirma a diretora da Turiset frisando que quem dirige uma ‘casa’ e na minha ótica, deve ser o primeiro a aprender para poder ensinar e exigir dos seus colaboradores.

Pandemia foi um caos, mas foi ultrapassada

Os três primeiros meses do início da pandemia foram caóticos para a Turiset, embora todos os problemas tenham sido resolvidos.

Como muitas outras agências de viagens, também a Turiset teve de fechar, embora a Helena Santos continuasse a trabalhar de porta fechada e a sua funcionária em lay-off.

Em termos de tesouraria creio que nem é preciso falar. Valeram os apoios que tivemos do Turismo de Portugal e da Segurança Social, mas que não chegaram.  No entanto foi melhor que nada.

2021 – Um ano (também) desastroso…

O ano de 2021 foi para a Turiset desastroso e em quase todas as áreas.

Contudo, assim que as fronteiras começaram a abrir e as restrições em termos de Covid começaram a cair, foi notado na agência e de imediato, uma vontade muito grande para viajar.

As pessoas estavam ávidas para sair e tinham amealhado durante os dois anos de “pausa”, o que levou a um ‘boom’ muito grande de reservas para a Páscoa e Verão, observa Helena Santos comentando que até ao momento 2022 está a ser um ano muito bom em termos de negócio, com viagens de grande qualidade, logo com margens acrescidas no negócio.

… mas com um 2022 já a mostrar resultados

A nossa entrevistada destaca que embora não tenham muitos mais clientes, pois são quase sempre os mesmos, nota-se que agora os seus clientes viajam para destinos mais longínquos, com mais qualidade. Inclusive, muitos procuraram fazer aquela viagem de sonho que nunca tinham feito.

Este ano, 2022, já ultrapassámos em termos de faturação o volume de vendas de 2019, assim como a nossa margem de lucro, o que é ótimo em termos de retoma.

Nesta altura e de portas bem abertas, a Turiset, prestas todos os serviços inerentes a uma agência de viagens, e vende essencialmente os pacotes de operadores.

Temos também algum mercado ‘corporate’, e faz uma ou duas vezes por ano um grupo fechado, quer cruzeiro quer viagem de longo curso.

2023 será uma grande incógnita

Helena Santos diz estar um pouco apreensiva quanto ao próximo ano, nomeadamente pelo facto de as notícias a nível mundial não serem nada famosas ou otimistas e isso cria um certo medo e ansiedade.

Eu tenho já grupos para a próxima Páscoa e espero, a bem de todos, que a guerra acabe ou que, pelo menos, não nos estrague o negócio.

Com o poder de compra a diminuir e os preços a aumentarem, há uma crescente preocupação em todos nós, por isso temo que só quem tenha grande poder de compra possa continuar a viajar.

Em minha opinião, o turismo em Setúbal sempre foi fraco

O turismo em Setúbal sempre foi fraco. Falta divulgação e pessoas a nível do turismo que sejam da cidade e que tenham vontade de divulgar o que temos de bom, afirma a diretora e sócia-gerente da Turiset Viagens e Turismo, frisando que Setúbal não é choco frito e peixe assado.

Para “ajudar” ainda mais esta falta de interesse, Helena Santos explica que, por exemplo, os circuitos turísticos á partida de Lisboa (antigamente designados Circuito dos Três Castelos), visitam Azeitão, Sesimbra e Palmela, e por vezes nem a Setúbal chegam.

A ‘baixa’ comercial precisa de ser dinamizada para chamar as pessoas à cidade e, mesmo tendo o potencial da Arrábida, quando o Verão chega, o trânsito não flui.

Nem mesmo quando foi criada a Baía de Setúbal, como uma das mais belas Baías do Mundo, foi dado algum dinamismo à Cidade de Setúbal.

As razões de ser uma agência GEA

Como me considero uma micro agência de viagens, e no meu caso, sozinha, não tinha meios como combater as grandes “potências” do turismo. Por isso, resolvi aderir a um grupo de gestão, neste caso a GEA, porque considero que somos facilmente engolidos porque não temos nem acesso à informação necessária, nem á tecnologia de hoje. Na GEA, sinto-me bem apoiada, consigo melhorar as minhas margens comerciais, temos apoio jurídico e como todos sabemos, juntos somos mais fortes.

Quanta à próxima Convenção da GEA Helena Santos quer vir a saber não só das novidades que estão a ser agendadas para 2023, como e principalmente ser informada de soluções que, à semelhança dos outros anos, se têm mostrado bastante produtivas e importantes.

Uma distinção que atesta a qualidade

A terminar esta entrevista, Helena Santos mostra-se muito satisfeita e orgulhosa por saber que a Turiset teve uma avaliação final global positiva.

Face a isso e conforme previsto no Regulamento do Serviço Checked By DECO fui elegível para utilizar a menção ′Checked By DECO′, na vertente loja.

Luís de Magalhães

Artigo anteriorDormidas de não residentes diminuíram em setembro
Próximo artigoProveitos do turismo em setembro superaram 2019