Início principal Taxa turística em Carcavelos: “Era bom que alguém percebesse ou quisesse perceber...

Taxa turística em Carcavelos: “Era bom que alguém percebesse ou quisesse perceber isto”

1

» Entrevista com Noel Cavaco Dias, diretor geral do Riviera Hotel, em Carcavelos ««

Já posso afirmar com segurança que embora o número de clientes e quartos ocupados, tenha sido ligeiramente inferior a 2019, o volume de negócio e todos os outros indicadores, vai ser superior. Quem o afirma é Noel Cavaco Dias, diretor geral do Riviera Hotel, unidade hoteleira localizada em Carcavelos, Cascais, acrescentando que comparativamente com 2019, período pré-pandemia, a ocupação será inferior a 2019, uns 2.5%. Já o volume de vendas será, pelo menos 5% superior.

Opção Turismo Durante os meses de verão, foram desencadeadas várias ações promocionais. Alcançaram o desejado com essas ações?

Noel Dias – De uma forma geral, todos os objetivos foram atingidos. Durante os meses de Verão, a nossa clientela é bastante diferente do resto do ano, com estadas médias bastante superiores, e com os nossos clientes a permanecerem muito mais tempo no Hotel. Muitas das ações que desencadeamos, visam a ocupação, o entretenimento e a satisfação dos nossos clientes. O feed back foi muito positivo.

Opção Turismo – Pode destacar alguma dessas ações?

Noel Dias – Se tiver de destacar uma, fico-me com os jantares temáticos diários, que são muito apreciados pelos nossos clientes, e que atraem igualmente passantes e residentes da área geográfica envolvente. E são para continuar.

Opção TurismoComo se comportou e está a comportar o mercado das reuniões?

Noel Dias – O mercado de reuniões está em franca recuperação. Ainda não ao nível de 2019, mas para lá caminha.

Propostas para Natal e Fim de Ano já podem ser reservadas

Opção Turismo – Para a época baixa, incluindo o Natal e Fim de Ano, que ações para o público estão a ser preparadas?

Noel Dias – Os menus para almoço de Natal de empresas e grupos já estão disponíveis. Esta semana, vamos divulgar as nossas propostas para a Consoada, para o dia de Natal, para o 31 de dezembro, e para o dia de Ano Novo. Este ano, em vez de réveillon, optámos por um Jantar de Gala, com opção de celebrar a passagem de ano no bar, com uma carta de champagnes e espumantes, desenhada para o efeito. Não terá animação, nem música ao vivo, pois não queremos induzir os clientes em erro com qualquer semelhança com um réveillon. É apenas uma fórmula diferente, em que a experiência dos anos anteriores, nos diz que existe um mercado.

Opção Turismo – Vão existir pacotes especiais para o fim de ano?

Noel Dias – Sim. A nível do alojamento vamos ter dois ‘packages’ diferentes para a noite de 31 de dezembro, que já estão igualmente disponíveis esta semana.

O primeiro inclui alojamento e pequeno-almoço para duas pessoas com um tratamento VIP no quarto com espumante, macarons e passas, ao preço de 60 euros por pessoa; o outro ‘package’ semelhante ao primeiro, mas incluindo o nosso aclamado ‘buffet’ de Ano Novo, ao preço de 87.50 euros, por pessoa.

Opção TurismoEm relação ao hotel, imóvel, vão existir novidades?

Noel Dias – Queremos pelo menos fazer uma reforma nas casas de banho e substituir as alcatifas dos quartos, o mais depressa possível, mas sinceramente não sei ainda, quando será possível.

Opção TurismoPode fazer uma antevisão sobre este ano, mesmo ainda faltando cerca de 3 meses para o final do ano do ano 2022?

Noel Dias – Como já referi, 2022 vai ser o nosso melhor ano de sempre em termos de vendas, e bem que precisamos depois do covid-19, que espero, desapareça de vez.

Opção Turismo – Pela retoma turística que se verifica em 2022 e se nada de mal vier a acontecer, como analisa o próximo ano?

Noel Dias – Os indicadores que temos para 2023, não são nada maus, mas esse “se nada de mal vier a acontecer”, no tempo de incerteza em que vivemos, é um óbice muito grande. Infelizmente muita coisa pode acontecer.

Atratividade: um problema que temos de conseguir resolver

Opção Turismo – Quais os principais problemas com que se debate no dia-a-dia em relação à unidade que dirige?

Noel Dias – Temos os problemas de toda a indústria, que atravessa uma crise relativamente à dignificação das suas profissões, e capacidade de atração e retenção, especialmente das gerações mais novas.

No entanto, a nível da formação, propriamente dita, sinceramente acho que não. Nunca houve tanta formação disponível, muita da qual, grátis ou de baixo custo. É mesmo um problema de atratividade, que espero consigamos resolver.

Opção Turismo – Em relação ao atual comportamento e exigências dos clientes, acha que os mesmos estão alterados face ao período antes da pandemia?

Noel Dias – Há coisas que vão ficar para sempre, ou pelo menos durante muitos anos. Falo das medidas de natureza sanitária, como o aumento da frequência da limpeza e desinfeção, etiqueta respiratória, etc.

A pandemia impactou-nos a todos de uma maneira muito violenta.

Uma região vista por quem vive e trabalha nela

Opção Turismo – Como analisa, de uma maneira geral, a promoção turística da zona de Carcavelos feita pela Associação de Turismo de Cascais (ATC) na visibilidade e captação de turistas para esta zona específica? Ou será que tem havido um ‘esquecimento’?

Noel Dias – Somos membros da associação, praticamente desde o dia em que reingressei no Riviera Hotel, em dezembro de 2018, e acho que todos somos poucos para promover o destino e captar clientes. Acho que a ATC faz o que pode, com os meios que dispõe. Relativamente à segunda parte da pergunta, é verdade que, muitos dos que estamos na freguesia de Parede e Carcavelos, temos essa sensação.

Opção Turismo – Em seu entender, sobretudo como diretor de uma unidade hoteleira de referência, o que pode ou deveria ser feito para cativar ou mesmo sediar turistas para esta região específica, que muito tem para oferecer?  

Noel Dias – Essa questão é, e será sempre polémica e suscetível de diferentes leituras e interpretações, mas não quero ir por aí. Acho sinceramente, que se tenta fazer o melhor possível com os recursos disponíveis, e há resultados à vista.

Taxa Turística: um problema ou não?

Opção Turismo – Uma vez que Carcavelos está, por assim dizer, ‘fora’ do centro turístico Estoril/Cascais, concorda com o valor da taxa de turismo que lhe é aplicada?

Noel Dias – Concordo no genérico e conceptualmente com a taxa turística.

Já no valor cobrado, muito concretamente em Carcavelos, a história é outra.

A taxa turística, tal como se faz noutra partes do mundo, não tem que ser um valor de aplicação imutável, em todas as diferentes classificações dos hotéis, nem em todas as localizações geográficas do concelho.

Opção Turismo – Porque em algumas zonas e cidades do país já foi divulgada a intenção de aumentar o valor da taxa municipal de turismo, acha viável vir a acontecer o mesmo no concelho de Cascais?

Noel Dias – Já ouvi uns rumores nesse sentido, e sinceramente fiquei “gelado”.

A taxa foi recentemente aumentada para 2 euros diários por cliente, ou seja, o dobro do que era.

Aumentá-la novamente ou a curto prazo, e muito especialmente nos moldes em que está implementada, considero que é um desproposito muito grande.

Veja a situação: durante 9 meses do ano, a nossa concorrência direta, mais que o eixo Estoril/Cascais, vem de Oeiras. Ora Oeiras não tem taxa turística. Em termos de concorrência direta ficaríamos numa desvantagem de 6 euros diários por quarto duplo.

Aos olhos do cliente, que perceção assim tão forte, diferencia Carcavelos de Oeiras, que justifique esse valor? Como conseguimos ficar competitivos por exemplo num simples grupo “corporate” de 30 quartos, digamos por 3 dias, se partiríamos com uma desvantagem de 540 euros.

Era bom que alguém percebesse ou quisesse perceber isto.

Luís de Magalhães

Artigo anteriorEm agosto, hóspedes e dormidas no turismo ultrapassam 2019
Próximo artigoMSC Cruzeiros vai realizar roadshow em outubro e novembro

1 COMENTÁRIO

Comentários estão fechados.