O presidente executivo da Ryanair, Michael O’Leary, avisou recentemente que o tempo dos voos a dez euros acabou, devido à subida dos preços da energia, que se acelerou com a guerra na Ucrânia.

Acho que não haverá voos a dez euros, porque os preços do petróleo estão muito mais altos, desde que a Rússia invadiu a Ucrânia. […] Acho que não vamos ver esses preços nos próximos anos”, disse o responsável da companhia aérea irlandesa, em entrevista à BBC Radio 4.

O responsável explicou também que as transportadoras aéreas de baixo custo, como a Ryanair ou a sua concorrente britânica easyJet, revolucionaram a aviação nos últimos vinte anos, reduzindo os preços e levando a um crescimento das viagens curtas.

Para Michael O’Leary, as tarifas médias dos bilhetes na Ryanair deverão aumentar cerca de 10 euros, para 50 euros por trajeto, nos próximos cinco anos, acrescentando que, no entanto, acredita que a procura por viagens aéreas vai continuar. Mesmo com as restrições orçamentais dos consumidores, as transportadoras de baixo custo vão sair-se bem, disse o CEO da Ryanair.

Na mesma entrevista, Michael O’Leary protestou ainda contra o Brexit, que reduziu o acesso de trabalhadores europeus ao Reino Unido, onde anteriormente mantinham centenas de milhares de empregos.

Artigo anteriorOca Hotels vai abrir mais um hotel no Porto
Próximo artigoTAAG reforça voos para Cabinda, Maputo, Windhoek e São Paulo