A pandemia teve um impacto assinalável na atividade económica das áreas da Hotelaria e Restauração.

Na União Europeia, o Turismo caiu 61% durante este período e os responsáveis pela tomada de decisões foram forçados a dar prioridade à sobrevivência dos negócios, muitas vezes através da redução do número de colaboradores e do encerramento de estabelecimentos, devido à inviabilidade financeira e à baixa rentabilidade.

Num momento em que a palavra “recuperação” está na ordem do dia, a Expense Reduction Analysts, empresa de consultoria especializada na otimização de custos e gestão de compras, aponta três estratégias para um planeamento de longo prazo mais sólido neste setor chave para a Economia:

  1. Revisão das cadeias de abastecimento: as organizações precisam de se organizar para fazer face aos desafios constantes de abastecimento do setor alimentar e à escassez de mão-de-obra. Têm de melhorar o controlo, eficiência e visibilidade das cadeias de abastecimento, através da consolidação da lista de fornecedores e da gestão de um stock amortecedor, tirando partido da inflação. O aumento do armazenamento, caso exista espaço disponível, também pode ajudar a reduzir custos, através da diminuição da frequência das entregas.
  2. Aposta na sustentabilidade:é imperativo que os líderes deste setor consigam implementar práticas sustentáveis e construir uma cultura de responsabilidade social, ambiental e económica, com o apoio de fornecedores resilientes. As empresas do setor da Hotelaria e Restauração devem fazer uma gestão criteriosa dos resíduos, por via de uma cadeia de abastecimento de ciclo fechado, priorizando o uso de embalagens reutilizáveis, e considerar uma maior utilização de fornecedores locais e sustentáveis. Este setor deve ainda reduzir o consumo de plástico e investir no uso de produtos de higiene de base orgânica. Enquanto parceira das empresas do setor, a Expense Reduction Analysts recomenda ainda a redução do consumo de energia, através da adoção de opções de energia renováveis, tais como painéis solares e turbinas eólicas, bem como melhores fontes de aquecimento e iluminação. O próprio consumo de água pode ser reduzido, através da instalação de filtros de poupança de água e sensores de movimento.
  3. Investimento na digitalização e tecnologia: a implementação de um exercício de otimização de custos e de processos na infraestrutura de IT permitirá redirecionar verbas para aproveitar a tendência emergente de digitalização do setor e atrair a nova geração de clientes. A aposta na personalização das mensagens de marketing, orientadas para os públicos mais significativos, e o acompanhamento das reações através de métricas claras, também são relevantes.

Segundo a Expense Reduction Analysts, é fulcral a aposta em soluções personalizadas para potenciar o crescimento destes negócios, através de medidas inovadoras e sustentáveis. Só assim será possível tornar o setor da Hotelaria e Restauração mais competitivo no contexto atual e nos anos vindouros.

Artigo anteriorMadeira: novo recorde mensal nos alojamentos turísticos em junho
Próximo artigoHotéis e similares concentraram 21,9% das dormidas dos residentes no 1º trimestre

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui