Início destaque Portugal deverá ser o quarto destino europeu mais popular este verão

Portugal deverá ser o quarto destino europeu mais popular este verão

0

O Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC) revelou que o setor de viagens e turismo vai impulsionar a recuperação económica em Portugal, ultrapassando os níveis pré-pandémicos em 2023, estimando que no próximo ano se verifique já um aumento de 4,8% em relação aos resultados de 2019 e o emprego no setor também exceda os níveis do último ano pré-pandémico.

No último Relatório de Impacto Económico do WTTC e no que concerne a Portugal, prevê-se que a contribuição total do setor para o PIB poderá atingir quase 39,5 mil milhões de euros no próximo ano, representando 17,4% do total da economia nacional.

De acordo com os últimos dados do WTTC, espera-se que o PIB associado às viagens e turismo cresça anualmente a uma média de 3,4% durante a próxima década, mais do triplo da taxa de crescimento de 1,1% da economia global do país, para atingir mais de 50 mil milhões de euros (20,2% do total) até 2032.

Após o impacto devastador da covid-19, Portugal está a mostrar uma forte recuperação e no final deste ano espera-se que a contribuição total do setor para o PIB cresça 54,7%, para mais de 35,8 mil milhões de euros, o que corresponde a 16,2% do PIB total, pode ler-se no comunicado do WTTC, que acrescenta ainda que o emprego no setor, em 2022, deverá crescer 5,6%, para atingir quase mais de 953.000 postos de trabalho.

De acordo com o parceiro na análise de dados do WTTC, a ForwardKeys, os últimos dados de reserva de voos mostram um verão promissor para Portugal, já que os dados de reservas de voos mostram que deverá ser o quarto destino europeu mais popular este verão, com um aumento anual de 179% de chegadas internacionais.

Os dados mostram reservas de voos a ultrapassarem os níveis pré-pandémicos, com reservas dos EUA, Holanda, Dinamarca, e Alemanha a aumentarem, respetivamente, 41%, 36%, 29%, e 11%.

Artigo anteriorAHP: Páscoa na hotelaria atingiu os níveis de 2019
Próximo artigoLisboa e Porto em primeiro lugar para visitar