Início Economia Visa analisa resultados de pagamento de turistas em Portugal

Visa analisa resultados de pagamento de turistas em Portugal

COMPARTILHE

 

A Visa anunciou os resultados da rede de pagamentos no que diz respeito a viagens e turismo, em 2017. O Global Travel Intentions (GTI) foi conduzido em conjunto com a empresa de pesquisa e business intelligence ORC International e angariou dados de 12.400 entrevistados em 27 mercados – entre os quais Reino Unido, França e Alemanha – três dos maiores mercados emissores do turismo português de acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE). O estudo da Visa também destaca vários aspectos da jornada dos viajantes e concluiu que a obtenção, posse e câmbio de dinheiro podem originar ansiedade e stress.

Segundo dados recentes do Instituto Nacional de Estatística (INE), Portugal recebeu mais de 28 milhões de turistas internacionais em 2016 sendo que o Reino Unido e França permanecem entre os grandes mercados emissores do turismo português. Em novembro, os mercados alemão e britânico foram os mais representativos, com uma quota semelhante (16,3% do total das dormidas de não residentes). As dormidas de hóspedes alemães cresceram 5,0% sendo que nos primeiros onze meses do ano este mercado aumentou 7,5%. As dormidas de hóspedes vindos de França (7,9% do total), depois de recuarem consecutivamente desde maio, voltaram a crescer em novembro (+13,3%). Desde o início do ano, este mercado apresentou um ligeiro acréscimo de 0,3%.

Neste sentido e, de acordo com o Estudo Global Travel Intentions da Visa, os viajantes alemães gastam uma média de 1.152 euros em viagens no estrangeiro, abaixo da média global de 1.465 euros, mas superior aos 1.052 euros gastos por turistas britânicos por viagem ou aos 959 euros desembolsados por viajantes franceses, estes últimos em linha com a média europeia.

A análise revela que os alemães, franceses e britânicos são adeptos de jantar fora nos locais de destino e preferem fazê-lo (47%, 46% e 44%, respectivamente) em locais “encantadores” ou “especiais”. Em todos os casos, as actividades em que os viajantes aplicam a maior parte do seu orçamento de viagem são gastronomia, compras, visitas culturais e entretenimento.