COMPARTILHE

Numa carta aos trabalhadores, o presidente executivo da companhia aérea Antonoaldo Neves, garantiu que, em 2018, prevê fechar o ano com 16 milhões de passageiros transportados, um crescimento de 50% do número de clientes transportados desde 2015, acrescentando ainda que nos próximos anos a companhia vai contratar 600 pilotos e mais 2.500 tripulantes de cabine.

Na carta em que deu conta da implementação do plano estratégico da empresa, o presidente executivo da TAP salientou que as medidas implementadas resultaram, mesmo operando em infraestruturas que apresentam muitos constrangimentos, e lidando com questões de cariz interno, entretanto ultrapassadas, que provocaram um elevado número de cancelamentos.

No entanto, crescemos e continuamos a fazer tudo o que está ao nosso alcance para melhorar ainda mais, salientou Antonoaldo Neves.

Entre outros dados citados, o líder da companhia aérea recordou também que, desde o início de julho – em pleno verão – estão em vigor novos procedimentos, criados para facilitar todo o processo e melhorar os índices de pontualidade, com vista a aumentar a satisfação dos clientes.

Ao mesmo tempo está em curso um plano de ataque às reclamações pendentes, fruto do volume acumulado nos meses críticos de cancelamentos e atrasos. Passámos ainda a ter três aviões de reserva, o que a TAP nunca teve. Também aqui o resultado das medidas adoptadas foi positivo. Por exemplo, no Airbus A321, o grau de satisfação dos clientes subiu consideravelmente (19 pontos).

Destacando que há uma nova era na TAP, garantiu Antonoaldo Neves, afirmando que até 2025, teremos 71 novos aviões. É um grande investimento no futuro. Um investimento nas pessoas: nos nossos clientes e na família TAP, resumiu.

O responsável tem como “ambição” atingir os 80% de pontualidade e, nos cancelamentos, “99% de regularidade”.