COMPARTILHE

2018 ficou para a história como o ano das maiores perturbações em voos e do caos na aviação. Pela primeira vez, mais de 10 milhões de pessoas tiveram direito a compensações, de acordo com o regulamento EC261.

A AirHelp empresa especializada na defesa dos direitos dos passageiros aéreos, prevê o agravamento do caos em 2019. Globalmente, cerca de 33 mil voos podem sofrer perturbações, por dia. Mais de 2 mil milhões de passageiros podem vir a experienciar problemas, em 2019.

A incerteza do Brexit, novas greves nas companhias aéreas, falta de pilotos e de controladores aéreos, assim como tráfego congestionado nos principais aeroportos europeus, são as principais razões para futuras perturbações.

A empresa calcula que mais de 11 milhões de passageiros fiquem elegíveis a receber compensações, de acordo com o regulamento EC261.

No ano passado, cerca de 25 milhões de pessoas partiram de avião de Portugal. Para o corrente ano  prevê-se que esse número chegue aos cerca de 26 milhões de passageiros.
O aumento do tráfego pode levar a ainda mais perturbações nos voos, já que as companhias aéreas e os aeroportos parecem não estar a tomar medidas suficientes para responder às exigências causadas pelo aumento do tráfego.

No entanto, recorde-se, muitos aeroportos precisam de introduzir melhorias, como por exemplo adicionar ou ampliar pistas, assim como aperfeiçoar a gestão de horários para lidar de forma mais eficaz com o congestionamento do tráfego aéreo. Alguns aeroportos de menor dimensão podem necessitar de acrescentar terminais reservados a voos internacionais para agilizar os processos alfandegários e o controlo de passaportes. Por sua vez, as companhias aéreas devem focar-se no seu staff, contratar mais pilotos, bem como melhorar as condições de trabalho da tripulação de bordo, a fim de evitar novas greves.