COMPARTILHE

Depois de uma profunda empreitada de requalificação, o histórico Hotel Guadiana reabriu portas, ontem, quinta-feira, trazendo de volta o charme e a tradição daquele que foi um dos primeiros hotéis do Algarve, inaugurado na década de 20.

A intervenção, que  representou um custo de dois milhões de euros, contemplou a renovação exterior e interior do edifício, adequando-o às características de uma unidade de cinco estrelas.

Refira-se que toda a intervenção foi financiada pela iniciativa Jessica, um fundo de investimento desenvolvido pela Comissão Europeia, em colaboração com o Banco Europeu de Investimento e com o Banco de Desenvolvimento do Conselho da Europa.

Com a reativação do uso original do imóvel, a operação urbanística possibilitou a instalação de 31 quartos: 15 duplos, 3 suítes júnior e 13 quartos individuais, todos com os padrões de conforto e exigência actuais.

A obra garantiu a manutenção da fachada e dos principais elementos decorativos do prédio de estilo afrancesado, projetado pelo arquiteto Ernesto Korrodi, cuja construção data-se entre 1918 e 1921.

A empreitada englobou ainda a recuperação de um imóvel na Ponta da Areia (foz do Rio Guadiana) para a instalação da área de beach club. A exploração do hotel irá futuramente integrar o edifício da Alfândega – a primeira construção da cidade -, que reservará também espaço para um bar lounge e um conjunto de suítes spa.

O hotel e o beach club serão geridos pelo grupo Grand House Algarve, mediante um contrato de exploração em que a entidade empresarial pagará uma renda mensal à autarquia, que assim recuperará o valor investido na requalificação do imóvel.