COMPARTILHE

É típico dos lugares quase perfeitos a construção de lendas que justifiquem a exuberância dos seus cenários. A Ilha Maurícia não foge a esta regra.

Maurícia ou Maurício, oficialmente República da Maurícia ou República de Maurício, é um país insular do oceano Índico, a cerca de 2.000 km da costa sudeste do continente africano. O país inclui as ilhas de Maurício e Rodrigues, a 560 quilómetros a leste das Ilhas Maurício, e as ilhas exteriores. A capital é Port Louis.

Anteriormente uma colónia holandesa (1638–1710) e uma colónia francesa (1715–1810), as Maurícias tornaram-se uma possessão colonial britânica em 1810 e assim permaneceu até 1968, ano em que alcançou a independência.

Em 12 de março de 1992, vinte e quatro anos depois da independência, as Maurícia foram proclamadas uma república dentro da Commonwealth. O último governador geral, Sir Veerasamy Ringadoo, tornou-se o primeiro presidente.

O povo mauriciano é multiétnico, multirreligioso, multicultural e multilingue. O governo da ilha segue o sistema parlamentarista de Westminster, as Maurícias são altamente classificadas em democracia , em liberdade económica e política. O Índice de Desenvolvimento Humano das Maurícias é o mais alto de África.

Segundo a história hindu (a religião dominante na ilha), Shiva e Parvati, sua mulher, viajavam pela Terra quando se depararam com a estonteante ilha, ainda desabitada, no Oceano Índico.

Ao descerem até ela, Shiva, que carregava sobre a cabeça o rio Ganges, deixou cair sobre a cratera de um vulcão algumas gotas de água sagrada, formando-se então um lago aonde, o deus profetizou, que iriam chegar em peregrinação, todos os anos, os futuros habitantes da ilha. Hoje, Maha Shivaratri é o mais importante acontecimento da ilha e o maior e mais importante evento hindu fora da India, levando anualmente milhares de crentes até Grand Bassin, o lago sagrado.

Maurícia, a maior ilha da república com o mesmo nome – do país fazem ainda parte a ilha Rodrigues e as ilhas exteriores (Agalega e as ilhas Cargados Carajos) -, é um daqueles casos de fotos fáceis, feitas de muitos quilómetros de areia branca, vegetação luxuriante, um céu azulão e águas esmeralda rendilhadas por recifes dos corais que a envolvem com irresistível graça. E, mais que tudo isto, é um destino onde abundam propostas pensadas para toda a família.

As Maurícias são conhecidas pela sua flora e fauna variadas, com muitas espécies endémicas da ilha. A ilha é amplamente conhecida como a única casa conhecida do dodó – uma espécie de ave da família dos pombos, sendo considerado o mais famoso animal extinto em tempos históricos, com notável presença na cultura popular – que, juntamente com várias outras espécies de aves, foi extinta por actividades humanas relativamente pouco depois do assentamento da ilha.

O principal produto da Maurícia é o açúcar, do qual já foi o 3º produtor mundial. Outros importantes produtos agrícolas são o chá e o tabaco. A economia é diversificada, tendo o turismo como uma das principais actividades económicas. A ilha instituiu a primeira zona franca do Oceano Índico.

Desde a sua independência, em 1968, a economia de Maurícia, até então uma economia de baixa renda baseada na agricultura, tornou-se uma economia diversificada com crescimento dos sectores industriais, financeiros e turísticos.

Refira-se que o destino, muito requerido por famílias, apresenta motivos cativantes para as crianças. Por exemplo, encontrar sítios onde aprender é algo divertido. É o que se passa, por exemplo, no museu L’Aventure du Sucre (Aventura do Açucar), em Beau Plan, onde a história deste ingrediente mágico é contada aos mais novos de forma simples e cativante com a ajuda de um mangusto e uma andorinha, animais típicos da ilha.

A fauna e a flora, riquíssimas, são outras das atracções em destaque irresistíveis para todos, e que podem ser observadas – e tocadas até – no Jardim Botânico de Pamplemousses, no Parque Natural de Vanille Réserve des Mascareignes e no Parque de Casela. Todos lugares são distintos, onde impera o verde, e assim se consegue compreender até que ponto a riqueza da ilha vai para além das muitas magníficas praias.