COMPARTILHE

Das 41.649 empresas criadas nos primeiros 11 meses de 2018 o turismo foi o sector que deu o maior contributo, tendo registado um aumento de 16,3% face a valores de 2017. Os dados são do Barómetro Informa D&B, que revela que “entre as empresas de serviços, aquele que conta com mais entidades no tecido empresarial), destacam-se as que têm forte ligação ao turismo, como as actividades de animação turística e agências de viagens”. O que não invalida que outros sectores ligado ao turismo estejam parados. Pelo contrário. É o caso, por exemplo, das actividades imobiliárias (mais 794 nascimentos, representando um aumento de 21,6%) e da construção (633 novas organizações, o que equivale a um crescimento de 19,5%). Por outro lado, convém não esquecer os transportes. No início do ano os números quase que duplicaram, com especial incidência nas actividades de transporte ocasional de passageiros em veículos ligeiros.

O distrito de Lisboa foi a região que registou maior dinamismo ao nível da criação de empresas, detendo o maior número de constituições – 14.608, o que traduz um crescimento de 14,2%. Os dados indicam que a capital portuguesa (e zonas envolventes) é responsável por metade do crescimento de novas empresas.