COMPARTILHE

A Quinta da Pacheca, no Douro, recebeu, ao longo de 2017, a presença de mais de 68 mil visitantes.

Para além de um restaurante de qualidade reconhecida, saliente-se o ex-libris da Quinta da Pacheca, o Wine House Hotel, de 4 estrelas, que teve no ano transacto uma taxa de ocupação média superior a 80%.

No sentido de dar resposta às crescentes solicitações, aquela que foi a primeira quinta na região do Douro a engarrafar vinho com marca própria, deverá até 2020 mais do que duplicar a sua capacidade hoteleira, uma vez que está já em curso um projecto de investimento que tem como base a construção de uma segunda unidade de alojamento com 29 quartos.

Ainda este ano, durante o primeiro semestre, serão inaugurados 10 originais quartos, a que deram o nome de Wine Barrels.

Mas a atractividade da Quinta da Pacheca, como local de referência da região, mede-se também pelo número de eventos que alberga, fruto dos espaços que disponibiliza. Esta preferência reflecte-se na taxa de ocupação para o ano de 2018, que está vendida em 80%.

No que concerne ao perfil dos visitantes, a grande maioria, cerca de 70%, são estrangeiros, com o mercado nacional a representar os restantes 30%. Em termos internacionais, o visitante brasileiro é um dos que regista maior crescimento, seguido de países mais tradicionais, como os Estados Unidos da América, França ou o Reino Unido.