COMPARTILHE

A empresa especializada na defesa dos direitos dos passageiros aéreos, a AirHelp, releva alguns conselhos que poderão ser úteis para quem vai estar na Rússia a assistir ao Mundial.

– Meios de transporte

Avião: quem se desloca de avião durante a competição deve comparecer nos aeroportos pelo menos três horas antes do horário de partida.

Vão existir dois controlos de segurança nos aeroportos russos – um na entrada e outro após o check-in. Este processo permite maior segurança, mas também consome muito tempo. Por isso, é importante chegar com bastante antecedência, até porque perder o voo devido a filas de controlo de segurança não dá direito a compensações por parte das companhias aéreas.

É muito importante ter sempre uma cópia impressa do cartão de embarque, uma vez que as versões electrónicas ainda não são permitidas.

Para viajar de forma económica durante a estadia, a Pobeda, a principal companhia low-cost russa, poderá ser a escolha ideal.

Comboio: os comboios são outra boa opção para viajar entre cidades. Quem precisa de se deslocar entre Moscovo e São Petersburgo, duas das cidades anfitriãs, poderá usar o Sapsan, um comboio de alta velocidade que faz a viagem em menos de 4 horas. Provavelmente, será uma alternativa mais rápida e barata, comparativamente ao avião. Para ligar Moscovo e Níjni Novgorod, outra das cidades que será palco de jogos, existe o Lastochka, um comboio de alta velocidade que demora cerca de 4 horas. Caso os fãs tenham menos pressa e queiram gastar menos, existem outros comboios regulares que ligam Moscovo e São Petersburgo a outras cidades anfitriãs, cujos bilhetes podem ser comprados no site da Russian Railways.

Táxi: para poupar algum dinheiro, a AirHelp aconselha a usar apps como Uber e Yandex Taxi (as duas empresas fundiram-se) ou Rutaxi, pois mandar parar um táxi na rua ou apanhar uma viatura perto de aeroportos ou estações pode trazer taxas exorbitantes. Além disso, as apps garantem maior segurança, pois o percurso é rastreável e o nome do motorista é conhecido.

Carro: ainda para quem prefere viajar de carro, existe uma opção bastante mais em conta: o BlaBlaCar. Este serviço de partilha de carro é bastante popular na Rússia, para viajar de Moscovo e São Petersburgo para outras cidades. Mas atenção: o motorista ou co-passageiros poderão não falar inglês.

Se optar por um serviço de rent-a-car, tenha especial atenção à máxima «se conduzir não beba». É que na Rússia a tolerância é 0,0% no que toca à concentração de álcool no sangue dos condutores.

Metro: para tornar as viagens de metro mais práticas, o Troika, um cartão de viagens recarregável, é a solução ideal. Pode também ser usado em autocarros e eléctricos.

Autocarro: os autocarros são uma excelente opção para deslocações dentro das cidades russas, sendo o meio de transporte mais barato. É aconselhável comprar bilhetes com antecedência.

– Onde ficar

Para beneficiar de preços mais baixos, é importante fazer a reserva o mais cedo possível e optar por hostels, os quais podem ser encontrados em booking.com. Geralmente, são bastante baratos e de qualidade aceitável e o staff é educado e fala inglês. É também aconselhável ficar acomodado em locais nas proximidades das cidades anfitriãs, para evitar os preços bastante inflacionados.

– Acesso à internet

Adquirir um cartão SIM local é uma forma de evitar custos excessivos de roaming, pois a Rússia não pertence à UE. O Wi-Fi é, obviamente, a solução mais económica. Atenção que é necessário fornecer o número de telefone para aceder a uma rede pública. É um procedimento normal, pois na Rússia não é permitido «navegar» de forma incógnita. Uma boa sugestão é também ter apps que funcionem offline, nomeadamente de mapas e de tradução, pois a percepção do inglês varia de cidade para cidade.

– Passaporte

É indispensável andar sempre com o passaporte, pois poderá ser necessário em várias situações, como comprar um bilhete para transportes ou um cartão SIM, realizar operações de câmbio ou na entrada do estádio.