COMPARTILHE

Hoje é quarta-feira, 20 de março, septuagésimo nono dia do ano.
Dia Internacional da Felicidade e Dia Mundial da Saúde Oral.
Faltam 286 dias para o final de 2019.
Este é o primeiro dia de primavera. O equinócio da primavera ocorre às 21:58, instante que marca o início da estação no hemisfério norte.
A primavera prolonga-se por 92,79 dias até ao próximo solstício que ocorre no dia 21 de junho, às 16:54.
Carneiro é o signo dos nascidos nesta data.

Principais acontecimentos registados neste dia

Nesta data, em 1792, morria, em Roma, o escritor e pedagogo português Luís António Verney, autor de “O Verdadeiro Método de Estudar”. Em 1888, o teatro Baquet, no Porto, era destruído por um incêndio. Em 1852, era publicado, nos EUA, o romance anti esclavagista “A Cabana do Pai Tomás”, de Harriet Beecher.

Em 1956, a França reconhecia a independência da Tunísia, sob a presidência de Habib Bourguiba. Em 1981, o sindicato polaco Solidariedade respondia ao espancamento policial de 23 activistas declarando uma greve nacional de alerta.

Em 1988, o Irão acusava o Iraque de ter utilizado armas químicas para matar 5.000 curdos. Em 1989, morria a atriz brasileira Dina Sfat. Tinha 50 anos. Em 1990, após 115 anos de administração colonial, era proclamada a independência da Namíbia, com Sam Nujoma por Chefe de Estado.

Em 1992, 7.500 intelectuais de 43 países encetavam um movimento de protesto contra a situação vivida em Timor. Em 1955, o metropolitano de Tóquio era atacado com gás sarin, matando dez pessoas e afectando mais de três mil. O atentado seria atribuído à seita Aum.

Em 1996, o Governo britânico admitia, pela primeira vez, que a doença das vacas loucas poderia transmitir-se a seres humanos. Em 2001, a polícia nova-iorquina prendia um jovem empregado de restaurante, suspeito da autoria do maior roubo de informação confidencial através da Internet até à data.

Em 2003, começava a Guerra do Iraque, às 02:35, com os primeiros bombardeamentos da capital iraquiana. A Câmara Municipal de Lisboa accionou o “alerta amarelo” no concelho. No mesmo dia, Angola anunciava a abertura ao capital privado dos sectores da água e saneamento, gás, electricidade, telecomunicações e transportes.

Em 2004, o Conselho Nacional do CDS-PP aprovava a coligação com o PSD para as próximas eleições europeias. E, na Holanda, morria, com 94 anos, a princesa Juliana, mãe da rainha Beatriz. Em 2005, dois agentes da PSP eram abatidos a tiro, na Amadora.

Em 2006, Cavaco Silva promulgava o primeiro diploma do mandato presidencial, relativo ao alinhamento do Ensino Superior português com o Processo de Bolonha. O Museu da Língua Portuguesa era inaugurado em São Paulo. Morria, com 51 anos, o locutor e realizador de rádio José Ramos, em Lisboa.

Em 2007, Álvaro Vasconcelos era nomeado director do Instituto de Estudos de Segurança da União Europeia. O presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, Emílio Rui Vilar, recebia, em nome da fundação, o galardão de personalidade portuguesa de 2006, atribuído pela Associação de Imprensa Estrangeira em Portugal. Morria, com 94 anos, Albert Baez, matemático e físico mexicano, coinventor do aparelho de raios-X.

Em 2008, o Conselho de ministros aprovava um decreto-lei que reduzia para metade as taxas moderadoras das consultas e internamentos para idosos com idade igual ou superior a 65 anos. Uma professora da Escola Secundária Carolina Michaelis, no Porto, era vítima de violência física e verbal por parte de uma aluna, depois de a docente lhe retirar um telemóvel. O caso é filmado por outros alunos e divulgado na Internet. Manuel Sebastião, membro da administração do Banco de Portugal, era nomeado pelo Governo presidente da Autoridade da Concorrência, sucedendo no cargo a Abel Mateus. Morria, com 86 anos, o General Carlos Galvão de Melo, dono de personalidade forte e conhecido como o general “sem papas na língua”. Fez uma carreira militar, foi membro da Junta de Salvação Nacional, candidatou-se à Presidência da República e tornou-se crítico da causa timorense.

Em 2010, morria, com 85 anos, o ex-primeiro ministro nepalês Girija Prasad Koirala, destacado impulsionador do processo de Paz no Nepal. Morria, aos 57 anos, José António Linhares, presidente do Salgueiros de 1995 a 2004.

Em 2013, morria, aos 65 anos, Henry Bromell, produtor e guionista de “Homeland”. Morria, aos 66 anos, Emílio Santiago, cantor brasileiro. Morria, com 84 anos, Zillur Rahman, presidente do Bangladesh.

Em 2014, morria Fernando Ribeiro e Castro, presidente e fundador da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas. Tinha 61 anos. Morria Manuel Barbosa, ex-empresário de futebol responsável por liderar alguns dos principais negócios do Benfica, na década de 1980 e 1990. Tinha 69 anos.

Em 2015, morria, aos 84 anos, Malcolm Fraser, antigo primeiro-ministro australiano que reconheceu a ocupação de Timor-Leste pela Indonésia em 1978.

Em 2016, o presidente norte-americano, Barack Obama, tornava-se o primeiro líder dos Estados Unidos a visitar Cuba nos últimos 88 anos.

Em 2017, morria, aos 101 anos, em Nova Iorque, David Rockefeller, multimilionário e filantropo. Morria, aos 87 anos, em Nova Iorque, Robert B. Silvers, director e fundador da The New York Review of Books. Morria, aos 81 anos, Thomas Brandis, violinista alemão e fundador do Quarteto Brandis.