COMPARTILHE

Hoje é sexta-feira, 01 de fevereiro, trigésimo segundo dia do ano.
Dia Mundial da Leitura em Voz Alta, Dia da Mensagem Alegre e Dia da Edite.

Faltam 333 dias para o final de 2019.

Nesta data, em 1727, a Inglaterra e a Espanha entravam em guerra, após o início do cerco de Gibraltar. Em 1890, era constituída a Liga Patriótica do Norte, de que foi primeiro presidente o escritor Antero de Quental. No mesmo dia, era tocada, pela primeira vez, a marcha heroica de Alfredo Keil e Lopes de Mendonça “A Portuguesa”.
Em 1908, D. Carlos e seu filho D. Luís Filipe eram assassinados a tiro no Terreiro do Paço, em Lisboa. Em 1958, o Egito e o Sudão formavam a República Árabe Unida.
Em 1971, a Universidade Católica Portuguesa, criada em 1967 por decreto da Santa Sé, tomava forma legal. Ministrava os cursos de Teologia e Filosofia e seria reconhecida pelo Estado português em junho. Em 1978, o Conselho de Segurança das Nações Unidas condenava, por unanimidade, a política de apartheid da África do Sul.
Em 1988, a agência LUSA abria a delegação em Macau. Em 1991, o presidente da África do Sul Frederik de Klerk anunciava o fim das leis raciais. Em 1992, a Associação Portuguesa de Escritores contestava a aplicação do IVA aos livros e, na mesma data, o presidente de Moçambique Joaquim Chissano solicitava a Portugal a mediação do processo de paz.
Em 1993, morria, com 68 anos, o fotógrafo Augusto Cabrita. No mesmo dia, em Díli, Xanana Gusmão, dirigente da Fretilin, começava a ser julgado pelas forças indonésias. Em 1996, morria o jornalista Celestino Amaral. Tinha 45 anos. Em 1999, registavam-se centenas de vítimas em confrontos entre a Junta Militar e o Governo da Guiné-Bissau.

Em 2001, o grupo suíço SairGroup desistia da TAP. Em 2002, morria, com 88 anos, o socialista Raul Rego, fundador do PS, resistente antifascista, ministro da Comunicação Social no I Governo Provisório, diretor do jornal República e um dos históricos do Parlamento.
Em 2003, o Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa decretava a prisão preventiva de Carlos Cruz e do médico João Ferreira Dinis, no âmbito do processo Casa Pia. E, nos EUA, desintegrava-se o vaivém espacial Columbia.

Em 2004, entrava em vigor a nova Lei dos Alvarás. Em 2005, a Comissão Europeia pedia esclarecimentos a Portugal sobre as contas públicas.

Em 2006, Portugal e a norte-americana Microsoft assinavam o memorando de entendimento, no âmbito do Plano Tecnológico, que previa o desenvolvimento de 18 iniciativas conjuntas até ao fim do ano. No mesmo dia, era apresentado o Plano de Ação para a Integração das Pessoas com Deficiência.

Em 2007, Rui Vilar era reeleito presidente da Fundação Calouste Gulbenkian. Morriam Giancarlo Menoti, 95 anos, compositor e libretista italiano, criador do Festival dos Dois Mundos de Spoleto, Itália, e também Ahmed Abu Laban, 60 anos, líder da comunidade muçulmana na Dinamarca, que esteve no centro da polémica sobre as caricaturas de Maomé em 2006.

Em 2008, o Alto-Comissário para a Imigração e Diálogo Intercultural, Rui Marques, era substituído no cargo, a seu pedido, por Rosário Farmhouse. Entrava em vigor a Convenção relativa à Luta Contra o Tráfico de Seres Humanos, ratificada apenas por 15 dos 47 países que compõem o Conselho da Europa. Morria o fotógrafo Allan Grant, que através da sua objetiva captou os testes nucleares no deserto do Nevada e fez as últimas fotografias de Marilyn Monroe. Tinha 88 anos.

Em 2012, morria Wislawa Szymborska, poetisa polaca, Prémio Nobel da Literatura em 1996. Tinha 88 anos.

Em 2014, morria, aos 89 anos, Orlanda Amarílis, escritora cabo-verdiana autora de “Cais do Sodré Té Salamansa” e considerada a “renovadora do conto” no arquipélago. Morria Luis Aragonés, treinador de futebol ex-selecionador nacional espanhol. Tinha 75 anos.

Em 2015, morria, com 80 anos, Udo Lattek, ex-treinador do Bayern Munique. Udo Lattek orientou os maiores clubes da Liga Alemã, sendo reconhecido como um dos treinadores de maior sucesso na Bundesliga.