COMPARTILHE

À medida que o número de viagens aéreas aumenta a probabilidade de ocorrerem problemas aumenta. É certo que existem regras que protegem os passageiros, mas não custa nada adoptar comportamentos que atenuem possíveis perturbações.

A AirHelp reuniu uma lista de dicas que os viajantes podem usar para ter uma melhor experiência de viagem:

  • Voar durante dias ou horários menos movimentados, evitando as multidões nos aeroportos. Os voos de madrugada costumam ser os menos lotados, o que significa que o voo tem menos probabilidade de ter excesso de reservas e o tempo de espera nos procedimentos de segurança será menor.
  • Prever um tempo extra para viajar para o aeroporto. Independentemente do destino há sempre que contar, por um lado, com o tráfego até ao aeroporto e, depois nas instalações, antecipar todas as medidas inerentes à segurança.
  • Viajar leve. Esperar pela bagagem pode implicar muito tempo no aeroporto. Para viagens curtas, os viajantes podem considerar o uso de bagagem de mão, desde que todos os itens transportados estejam de acordo com os requisitos da Administração para a Segurança dos Transportes.
  • Levar carregador e entretenimento. Constrangimentos (diga-se perturbações) na viagem podem acontecer. Antecipe-se e leve algo com que se entreter. Caso tenha os bilhetes no seu smartphone não se esqueça do carregador e de umas powerbanks para nunca ficar sem bateria.
  • Conhecer os direitos em caso de perturbações em voos, pois pode haver direito a compensação. No caso de atrasos superiores a três horas, cancelamentos de voos ou impedimento de embarque, os passageiros podem ter direito a uma compensação até 600 euros por pessoa, em determinadas circunstâncias, além do agendamento de nova viagem ou do reembolso do bilhete. As condições para que tal aconteça determinam que o aeroporto de partida se encontre dentro da UE ou que a companhia aérea tenha sede na UE. Além disso, a razão da perturbação deve ser causada pela companhia. O direito à compensação financeira deve ser reclamado no prazo de três anos a contar da data da perturbação. Se o passageiro ficar retido no aeroporto por mais de duas horas, as companhias aéreas também são obrigadas a fornecer refeições, bebidas, acesso a comunicações e acomodação, se necessário.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here