COMPARTILHE

Menos agências, mais rentabilidade. Esta pode ser uma versão (reduzida) da prestação da Bestravel no ano passado. A informação foi revelada por Carlos Baptista, administrador da Bestravel, num encontro com a imprensa, à margem da Convenção Bestravel, que decorreu na Madeira. O administrador lembrou que se hoje têm 49 agência houve tempos em que a rede estava alargada a 74 (2011). Desde essa altura cresceram 64% do ponto de vista da produção/ média de cada loja. Ou seja, menos agências, mas, com melhores resultados.

A prova está nos resultados. De 2017 para 2018 a rede cresceu 29% em vendas e 22% em margem. Números que provam que a nova estratégia do operador, de limitar o crescimento orgânico da rede, e apostando na formação e disponibilização de ferramentas de gestão está a funcionar.

A Bestravel assume-se como uma “fomentadora” do turismo interno. Quer isto dizer que o seu principal mercado é Portugal – não é por acaso que o país, como um todo, representa entre 9 a 10 milhões de euros em facturação. Ao nível dos destinos mais solicitados, Espanha ocupa o segundo lugar, seguido do México, Caraíbas, Cabo Verde e Brasil.

No ano passado a convenção realizou-se nos Açores e os resultados demonstraram a importância destes encontros. Curiosamente em 2018 o arquipélago duplicou os seus valores em termos de produção. Razão pela qual as perspectivas para a Madeira são grandes, tanto mais que, no ano passado, o destino registou um aumento substancial de 35% de clientes. Pelo que continuará a ser “um destino preferencial para a Bestravel em 2019”, afirmou Carlos Baptista.

No ano passado os Açores foi o destino que mais cresceu, seguido da Tunísia, que registou uma recuperação, de Portugal Continental e ainda de Espanha.

Em termos de aberturas 2018 pautou-se pela abertura de quatro novas lojas (Lousada, Massamá, Santarém e Vila Nova de Gaia), sendo que há a realçar o facto de duas serem segundas lojas de franquias já existentes. A este número há a acrescentar uma quinta abertura, agendada para 9 de Fevereiro, em Évora. Sobre futuras aberturas Carlos Baptista foi peremptório ao afirmar que não querem abrir mais do que três a quatro agências por ano, num total de 65 agências (máximo) na rede.

por Alexandra Costa