COMPARTILHE

Chama-se Clube Lisboeta, fica na Rua da Escola Politécnica 90 (entre o Largo do Rato e o Príncipe Real) e tem uma carta que reúne sabores de quatro países. Pelas mãos da chef Karin Gama “viajamos” por uma combinação de sabores, numa carta criada com vista a proporcionar uma alimentação saudável em que é melhor “descascar que desembalar”.

A entrada chama a atenção pela parede (vertical) de suculentas. Isso e uma decoração que faz jus ao clube. Quando entramos os tons utilizados (cores sóbrias e madeiras nobres) remete para os famosos clubes onde as pessoas se reuniam (décadas atrás).

A surpresa (em termos de gastronomia) começa com o couvert. Mais do que apenas manteiga a ideia é proporcionar diferentes experiências relacionadas com as quatro gastronomias em vigor (que vão sendo alteradas regularmente).  Neste caso Portugal, Tailândia, Grécia e Brasil.

 

E nada como começar a refeição indo até ao Alentejo e experimentar uma reinvenção (mas nada de muito rabuscado) da açorda de bacalhau à alentejana. Um prato simples onde os sabores estão todos presentes sem se tornar demasiado pesado. Na medida certa para permitir a continuação da viagem. Que segue para Grécia, nomeadamente para o Tachinho de Ovos, molho de tomate caseiro e queijo de cabra. É “apenas” uma entrada, mas na verdade é um prato tão equilibrado (nenhum dos sabores se sobrepõe de forma exagerada), que facilmente uma pessoa tem a tentação de pedir para repetir.

Na parte dos pratos nada melhor do que começar com um Bobó de Camarão, com arroz de coco e farofa crocante de cebola. Adivinharam. É tempo de viajar até ao Brasil, país de origem da chef. Ligeiramente diferente dos bobós que outros restaurantes brasileiros nos habituaram. Mais discreto, mas nem por isso menos irreverente (o arroz de coco diz tudo). É um prato saboroso, mas que “morre” um pouco ao ser experimentado depois do Tachinho de Ovos.

A vertente saudável está presente em toda a parte. Inclusive nas sobremesas (embora as duas coisas nem sempre sejam imediatamente associáveis). Para os muito gulosos e que não prescindem do chocolate a sugestão é a de que escolham a Tarte Ganache de Chocolate, com manteiga de amendoim e flor de sal. Mas se são aventureiros e gostam de experimentar coisas diferentes (e de ser surpreendidos) então não podem deixar de provar o Raw Cheesecake vegan de mirtilo e limão. E para os que o termo vegan assusta… experimentem. No final vão ser surpreendidos não só pela combinação de sabores, mas também pelas várias texturas inerentes. Isto, claro, depois de admirarem o visual do prato e decidirem, finalmente, passar à acção, diga-se comer.

Numa altura em que o Príncipe Real está na moda e que abrem vários conceitos de restauração o Clube Lisboeta é interessante porque, não só porque está simultaneamente perto e longe de um dos locais in de Lisboa, mas também porque proporciona experienciar diferentes gastronomias numa única refeição. Mas se quer essa experiência tem de ir jantar. Ao almoço o menu é outro e estes pratos poderão não estar disponíveis. Fica a dica.