Início B2 APAVT: o 44º é nos Açores

APAVT: o 44º é nos Açores

COMPARTILHE

A Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT) realizou ontem, quarta-feira (04), no Rooftop do Hotel Mundial, em Lisboa, a cerimónia de apresentação do tema e logotipo do seu 44º congresso nacional, cujo tema é “Turismo: os Desafios do Crescimento”

Numa cerimónia, com elevada presença de convidados, na sua maioria agentes de viagem, que contou com a presença da secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo dos Açores, Marta Guerreiro, o presidente da APAVT, Pedro Costa Ferreira, começou por explicar as razões que levaram a associação a escolher os Açores, e nomeadamente, Ponta Delgada, para palco do próximo congresso, que se realiza entre 21 e 25 de novembro, destacando que o levar este evento para Ponta Delgada  deve ser entendido como mais uma etapa, de um conjunto largo de acções concretas, que visaram, todas elas, a visibilidade nacional e internacional do arquipélago, bem como o desenvolvimento de boas práticas de proximidade entre a comunidade dos agentes de viagens e o destino.

Abordando o tema do congresso “Turismo: Os desafios do Crescimento”, Pedro Costa Ferreira afirmou que Portugal tem tido um percurso absolutamente fantástico nos últimos anos, mas todos sabemos que os ciclos económicos não duram indefinidamente; porque existem, entre outros, desafios importantes, relacionados com a interrupção de algumas operações aéreas relevantes (como é o caso da falência da Monarch), com as dificuldades de operação no aeroporto de Lisboa, com as dificuldade de operação da TAP, com o ‘Brexit’, ou mesmo com os problemas de operação turística que enfrentamos na cidade de Lisboa.

Referindo-se ainda aos Açores, o presidente da APAVT destacou o facto de a realidade turística açoriana tem alterado a sua face mais visível a uma velocidade quase inesperada, fruto do crescimento recente da procura, do excelente trabalho dos investidores privados, bem como da boa colaboração existente com a tutela.

–  Os Açores têm tido um registo notável de crescimento nos últimos anos, mas existe certamente um debate a fazer acerca dos próximos passos, acerca da sustentabilidade do crescimento e da sustentabilidade do próprio destino.

A finalizar disse também que ao nível microeconómico, apesar da visível recuperação das agências de viagens e dos operadores turísticos, há todo um percurso de consolidação por percorrer, com especial ênfase na tecnologia, na formação, e nos standards de serviço.

Por sua vez, a secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo dos Açores, Marta Guerreiro, disse hoje, em Lisboa, que a região reconhece, agradece e valoriza a importância das agências de viagens nacionais no sucesso turístico do destino, e recordou alguns números turísticos do ano passado para ilustrar a sua afirmação.

Não posso deixar de mencionar que o mercado nacional representou, em 2017, 41% do total de dormidas na região, tendo registado um crescimento de 19%, e tendo sido praticamente atingida a cifra de um milhão de dormidas de turistas nacionais. É de longe o maior mercado turístico dos Açores. Isto ilustra bem o que os canais de venda da ’tour operação’ e das agências de viagens portuguesas têm no sucesso turístico do destino. Sabemos reconhecê-lo, agradecê-lo e valorizá-lo.

Esta será a quarta vez que o congresso da APAVT se realiza nos Açores e o facto de se realizar em novembro, é para Marta Guerreiro mais um ponto positivo, pois representa também a aposta na redução da sazonalidade”, ao poder-se mostrar que os Açores são “um destino capaz de satisfazer as expectativas dos visitantes em qualquer altura do ano com propostas adequadas assertivas. E a governante conclui, destacando que a realização deste evento nos Açores é um momento muito importante.

Acontece num momento muito importante de promoção atendendo ao perfil da grande maioria dos participantes, concretamente de agentes de viagens que promovem e comercializam potenciais destinos.