COMPARTILHE

Plano de Orçamento para 2019 contempla um crescimento de 3% face aos valores do ano em curso, o que se traduz num investimento de 29 milhões de euros. O aumento do valor pretende fazer face aos “grandes desafios do sector”, sendo o principal deles a qualificação do destino – merecendo, por isso uma dotação de cerca de 4,6 milhões de euros, que cresce 14% face ao corrente ano, “muito enfocada na valorização dos recursos humanos”. Prova disso é o aumento de 35% dos cursos na área de turismo em 2018 nas escolas de formação profissional da Região.

A informação foi divulgada por Marta Guerreiro, Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo, que afirmou que a principal preocupação assenta na formação de profissionais do sector, que está a ser colmatada através da colaboração com a Escola de Formação Turística e Hoteleira, através de “um plano de qualificação e valorização para ativos na área do turismo”, já iniciado e que chegará a todas as ilhas muito em breve. Ainda nesta matéria a governante relembrou a parceria com a AHRES – através do Programa de Formação do Património Gastronómico dos Açores – e com o IPDT.

Falando em casos concretos Marta Guerreiro deu como exemplos de investimentos que valorizam os Açores como destino turístico, o projeto da Casa dos Botes, nas Lajes do Pico, e a construção das infraestruturas de apoio às empresas marítimo-turísticas da Horta.

Referiu igualmente a aposta do arquipélago no turismo sénior e no programa do turismo inclusivo, sem esquecer os eventos desportivos, culturais e de negócio, que “contribuem ativamente para a captação de fluxos, permitindo atenuar os efeitos da sazonalidade”.

No Plano apresentado constam investimentos como a construção do circuito interpretativo da plataforma costeira das Lajes do Pico, a construção do Centro de Interpretação de Aves do Corvo e do Algar do Carvão, na Terceira, a finalização da casa dos Vulcões e a renovação dos conteúdos do Centro de Interpretação do Vulcão dos Capelinhos, que deverão totalizar 3,5 milhões de euros.

A isto junta-se a requalificação de percursos pedestres da Serra de Santa Bárbara, na Terceira, a construção de uma zona de apoio às descidas e estacionamento na Montanha do Pico, a requalificação do miradouro e trilho da Lagoa do Fogo e a construção do circuito interpretativo da Ponta da Ferraria, num investimento a rondar os 1,5 milhões de euros.

Estes investimentos procuram dar resposta ao crescimento da procura – 93% nos últimos três anos – que permitiu “melhores e consistentes taxas de ocupação, com os Açores a serem, desde 2015, a Região do país com o maior crescimento nas dormidas, superando, em 2017, com grande margem, a desejada meta dos dois milhões de dormidas”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here